Indignação nas redes sociais transforma silêncio da mídia em mobilização

MARIANA GOMES JANEIRO 22, 2012 0

Por Mariana Gomes para o Vírus Planetário

Mais uma vez o silêncio cínico da imprensa comercial fez aparecer a força das pessoas nas redes sociais no Brasil.

Na manhã deste domingo, após a invasão da comunidade do Pinheirinho, em São José dos Campos, região do Vale do Paraíba de São Paulo, a indignação das pessoas foi praticamente instantânea. Na mesma hora, fotos e montagens começaram a ser postadas no Facebook e as notícias passaram a ser narradas em tempo real pelo Twitter.

A truculência da Polícia Militar paulista chocou a população de todo o Brasil que, assustada com a omissão por parte da imprensa comercial, começou a fazer seu próprio protesto. Outro fato importante a ser destacado é o protagonismo da imprensa alternativa durante toda a cobertura desse caso, não só durante a invasão de hoje.

Este domingo deixou muitas pessoas perplexas, já que a grande maioria da população brasileira sequer sabia do que se tratava a hashtag #Pinheirinho, no Twitter – que chegou a ficar durante algumas horas entre os assuntos mais falados no Brasil. A rede social, como já é procedimento padrão, retirou a hashtag #Pinheirinho dos Trending Topics, que estava em primeiro lugar na pauta brasileira. Após a reclamação de centenas de usuários, a empresa responsável retornou com a hashtag aos Trending Topics.

A rede de televisão local, afiliada da rede Globo, TV Vanguarda, se limitou a noticiar fatos muito pontuais ao longo de toda a semana. Nenhum morador ou líder comunitário foi entrevistado. A população do Vale do Paraíba paulista mal sabia o que se passava em São José dos Campos.

Veja abaixo algumas imagens publicadas nas redes sociais:

 

 

A luta da comunidade do Pinheirinho

A comunidade do Pinheirinho é um terreno de mais de 1 milhão de metros quadrados, situado em São José dos Campos, onde moram cerca de 10 mil pessoas desde 2004. A desocupação dos terrenos atende aos interesses dos capitalistas imobiliários e respondem à denúncia da empresa Selecta, do investidor libanês Naji Nahas, que deve R$ 15 milhões à prefeitura da cidade, sendo protagonizada pela Polícia Militar sob as ordens do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Na terça-feira, dia 17 de janeiro, a Justiça Federal ordenou deter a desocupação, enquanto a justiça estadual reclamava a incompetência dos tribunais federais para julgarem o caso.

O juiz que conduz a invasão de hoje do Pinheirinho é irmão do Deputado Estadual do PSDB, Fernando Capez.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s