Artigo – Mercado de trabalho e globalização

Por Mario Miranda

                As últimas duas décadas trouxeram mudanças significativas no mundo do trabalho e nas suas relações. A globalização e o neoliberalismo – que se caracterizam pela hegemonia ianque – exigiram novas práticas, valores, relações, idéias e teorias para a esfera produtiva – em todos os setores. A face mais visível e cruel dessa nova realidade consiste no incremento da tecnologia na produção, flexibilização das relações de trabalho, privatizações e fusões; tudo para evidente beneficio do capital em detrimento do trabalho e trabalhadores. Embora seja mais sutil, o outro lado da moeda não é menos perverso. A mão continua invisível e falando inglês, porem agora com sotaque yankee.O modelo do Tio Sam se caracteriza pelo pragmatismo patológico, pela paranóia estatística e uma inclinação ao tecnicismo infantil. Essa tendência pode ser observada na iniciativa privada, setor publico – com reservas! – e, mais recentemente, com algumas resistências pontuais no terceiro setor. Ela se observa ainda na subordinação incondicional da educação ao mercado – ensino médio, técnico, profissionalizante e superior. Apenas a brava educação publica não se subordinou ao mercado, nem a sociedade, a família, a cidadania, a democracia, a globalização, enfim, ela vive noutra realidade alheia a isso tudo! Esta espécie de fixação atende pelo nome de “profissionalização” – exigência imposta pela globalização neoliberal. Leia o resto deste artigo »
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s